FAZER MENOS NA PRÁTICA

Se por um lado aumentamos a demanda e a necessidade do que precisamos entregar, por outro lado corremos o risco de negligenciar atividades que são realmente mandatórias! A grande dúvida é como devemos realmente priorizar. Nos cursos sobre foco e prioridade gosto de utilizar a ideia da garrafa, pedras grandes, pedras e areias.

Se começar preencher a garrafa primeiro com as areias, seguido das pedras, e então com as pedras grandes é muito provável que muitas coisas fiquem de fora.

Agora quando organizamos nosso dia na ordem correta, percebemos que é possível adicionar tudo na garrafa. Como? Primeiro as pedras grandes, depois as pedras e por então a areia.

As pedras grandes são as atividades importantes e essenciais ao sucesso do processo. As pedras são temas necessários, e as areias são atividades que roubam o tempo e nem sempre agregam valor.

Se pudéssemos dividir nosso tempo entre esses grupos, acredito que 20% deveria ser destinado a pedras grandes, 50% pedras e 30% a areias. Assim ao surgir uma urgência, a areia pode ser sacrificada sem prejudicar o que é importante.

Quando existe uma demanda de “pedras grandes” superior a 20%, o meu convite é que busque o olhar a sua calibração do que é importante e necessário realmente.

Diversas vezes promovemos pedras e areias a pedras grandes, e geramos um dia super ocupado e pouquíssimo produtivo.